Massagem para o bebê: shantalla

 A Shantalla é uma técnica indiana e introduzida no Ocidente pelo Doutor Leboyer, um obstetra francês.

É uma massagem realizada em bebês, sem roupas e sobre as pernas da mãe.

A massagem traz vários benefícios para seu bebê, como:

  • aumentar oxigenação dos tecidos e estimular fluxo de energias pelo organismo;
  • atuar diretamente sobre o desenvolvimento psicomotor da criança;
  • ter uma ação relaxante e melhorar o humor do seu bebê liberando a tensão acumulada;
  • prevenir cólicas, prisão de ventre e insônia, estimulando o aparelho gastrointestinal;
  • favorecer a respiração, auxiliando o organismo a expelir toxinas e revitalizando o corpo;
  • contribuir para o contato afetivo e promover a harmonia do seu bebê com meio exterior;

Para realizar as massagens é necessário o uso de um óleo mineral infantil para proporcionar melhor deslizamento das mãos sobre a pele do seu bebê. Além disso, o ambiente deve ser aquecido com uma temperatura agradável, uma iluminação branda para manter um ambiente aconchegante e colocar uma música suave.

O ideal é que essa massagem ocorra diariamente, sempre no mesmo horário. É aconselhável aguardar pelo menos meia hora após a mamada ou uma hora se ele faz uso de mamadeira para evitar regurgitações.

Caso seu bebê esteja gripado, com febre ou outro sintoma, não realize a shantalla durante esse período.

A mãe precisa estar em uma posição confortável, com as costas eretas, ombros relaxados e pernas esticadas para realizar a massagem em seu bebê.

Coloque seu bebê sobre suas pernas, em cima de uma toalha ou fralda. Ou se preferir, pode massageá-lo no trocador.

Olhe-o nos olhos, calmamente e concentre.

Coloque um pouco de óleo em sua mãos e esfregue-as. Inicie movimentos com firmeza, em um ritmo leve e constante, aumentando naturalmente a pressão entre os dedos.

É muito importante que você siga os movimentos de forma adequada, ou seja, de dentro para fora, do centro para as extremidades, ou de baixo para cima. Tente começar sempre pelo lado esquerdo e terminar pelo lado direito. Esse é o sentido da energia no corpo humano, segundo estudiosos da medicina oriental.

Cada passo deve ser realizado de 3 a 10 vezes. Siga-os:

  1.  inicie pelo peito do bebê, deslizando as mãos do centro para as laterais;
  2. cruze as suas mãos pelo peito saindo do quadril esquerdo do bebê alcançando o ombro direito e do quadril direito para o ombro esquerdo; deixe as mãos subirem como ondas alternadamente;
  3. vire o bebê de lado, segure o ombro com uma das mãos e o pulso com a outra; vá deslizando a mão fechada do ombro até o pulso – não se esqueça do ritmo;
  4. a seguir, faça o mesmo com as duas mãos indo do ombro em direção ao pulso – movimento imita uma rosca, com uma mão no sentido contrária da outra;
  5. antes de fazer o outro braço, massageie a mãozinha do bebê com os polegares - alongue os dedinhos, dobrando-os para traz gentilmente;
  6. com as mãos em concha, escorregue a lateral externa das mãos desde a base das costelas até o quadril. Segure as perninhas para o alto e use o antebraço para deslizar da costela ao quadril do bebê;
  7. envolva a perna do bebê com a mão, formando um bracelete, e vá desde a virilha até o tornozelo, alternando as mãos;
  8. com as duas mãos, fala um movimento giratório, de vai e vem, desde a virilha até o tornozelo, ficando um pouco mais no tornozelo para estimular a circulação;
  9. movimente seus polegares do centro do pezinho do bebê aos dedinhos; desliza toda a mão pelos pés do bebê; segure cada dedo, começando sempre pelo polegar e massageie a pontinha de cada um deles;
  10. repita os movimentos com a perna e o pé direito;
  11. vire o bebê de costas, deixando-o na perpendicular às suas pernas e com a cabeça voltada para seu lado esquerdo, mantenha as duas mãos espalmadas e faça movimentos de vai e vem, descendo da nuca ao bumbum e depois subindo;
  12. mantenha sua mão direita no bumbum do bebê e deslize a mão esquerda com o polegar aberto, da nuca ao bumbum;
  13. depois de voltar o bebê para a posição inicial, junte os dedos no centro da testa e faça um semicírculo, contornando cada olho; volte para o centro da testa e faça outro semicírculo, indo em direção às maçãs do rosto, por fim, faça semicírculos, indo até ao queixo.
  14. com os polegares, suba desde a base do nariz até o centro da testa e volte, fazendo um movimento de vai e vem;
  15. segure as mãos do bebê, abra seus bracinhos e depois feche, cruzando-os e alternando o braço que fica por cima – o exercício ajuda a aliviar tensões nas costas e melhora a respiração;
  16. cruze as perninhas do bebê em posição de lótus, com os pés sobre o joelho oposto e o outro joelho sobre o outro pé, e leve-as em direção à barriga; alterne as perninhas;

O ideal é terminar a massagem com um banho morno, além de relaxar seu bebê, será prazeroso para ele permitindo reviver as sensações da vida intrauterina. A banheira deve estar bem cheia para que ele fique imerso e possa aproveitar e curtir o relaxamento.

Publicado em 21 de março de 2013 / Atualizado em 15 de abril de 2013

LEBOYER, F. Shantala: uma arte tradicional massagem para bebês. Trad. Luiz Roberto Binati e Maria Silvia Cintra Martins. 7. ed. São Paulo: Ground, 1998.

Veja o que a nossa comunidade está dizendo sobre este tema e comente! Comentar